Secure Adnxs

Transição capilar para cabelo crespo: dicas para suavizar o processo.

por Talitha Benjamin

Não dá para negar que o mundo de hoje é muito mais aberto para as diferenças. O cabelo crespo e cacheado, por exemplo, se antes eram características a serem escondidas por alisamentos, atualmente, já são consideradas fios naturalmente brasileiros. Mesmo assim, décadas e décadas de estigma não se destroem tão rapidamente, e muita gente pode […]

Transição capilar para cabelo crespo: dicas para suavizar o processo.

Não dá para negar que o mundo de hoje é muito mais aberto para as diferenças. O cabelo crespo e cacheado, por exemplo, se antes eram características a serem escondidas por alisamentos, atualmente, já são consideradas fios naturalmente brasileiros. Mesmo assim, décadas e décadas de estigma não se destroem tão rapidamente, e muita gente pode […]

transicao capilar cabelo crespo 1 533x800 - Transição capilar para cabelo crespo: dicas para suavizar o processo.

Não dá para negar que o mundo de hoje é muito mais aberto para as diferenças. O cabelo crespo e cacheado, por exemplo, se antes eram características a serem escondidas por alisamentos, atualmente, já são consideradas fios naturalmente brasileiros. Mesmo assim, décadas e décadas de estigma não se destroem tão rapidamente, e muita gente pode se sentir meio insegura sobre passar pela transição capilar e adotar seus fios naturais. 

Não só por isso, mas o processo de reversão das químicas de alisamento para o fio crespo é um momento delicado e complexo, que passeia por diversas questões que não se resumem só a estética. Felizmente, o boom do mercado de cosméticos, juntamente com as discussões cada vez mais crescentes sobre aceitação de traços racializados, permitem que a transição capilar seja muito mais leve e simplificada, apesar de ainda ser um processo muito importante de autoaceitação da própria imagem. 

Resumindo, a transição capilar do cabelo crespo não precisa ser tão difícil, dolorosa e complexa quanto parece! Se você está pensando em abrir mão do alisamento e de nutrir a curvatura natural, reunimos aqui um guia especial com o que você precisa saber antes de começar a sua transição do liso para o crespo. Vem ver!

Sem cuidado capilar, a transição capilar não avança

Entrar na transição capilar começa ao abolir o alisamento dos fios. Isso inclui escova progressiva e relaxamentos. Mas esse é apenas o primeiro passo de uma jornada complexa, que deve contar, principalmente, com o cuidado capilar. 

Para entender a importância, basta pensar que os fios alisados estão sob danos causados pelas químicas e ferramentas de calor, e que esses danos continuam impactando os fios por um tempo. Por isso, a rotina capilar deve ser focada em restaurar a saúde das madeixas, devolvendo nutrientes, proteínas e a água necessárias para que os fios novos cresçam saudáveis. 

Isso mesmo: não dá para ter uma transição capilar bem-sucedida sem investir em um tratamento completo. A forma mais fácil de fazer isso é através do cronograma capilar para cabelos em transição, com nutrições e hidratações duas vezes na semana e, de 15 em 15 dias, uma reconstrução completa para devolver a queratina dos fios, reparando os danos causados pelo alisamento.

A parte mais difícil é lidar com as duas texturas

Conforme os fios vão crescendo durante a transição capilar, eles adquirem duas texturas diferentes: a natural, que vai crescendo da raiz, e a alisada, no comprimento e pontas. Essa característica promove um aspecto de “cabelo bagunçado”, já que a raiz alta com volume em excesso do cabelo crespo pode ser mais complicada de lidar. Além disso, o fio em transição também é mais fragilizado, já que as madeixas naturais ainda podem nascer com resquícios das químicas utilizadas previamente (por isso é tão importante manter o cabelo totalmente sem químicas).

Juntando o cabelo já danificado, com fios irregulares que vão nascendo, as duas texturas podem ser bem difíceis de controlar. Porém, não é impossível passar por essa fase: produtos especialmente indicados para a transição capilar, técnicas incríveis de texturização e caprichar nos penteados e na hora da finalização vão ajudar você a lidar com esse período de transição que, é sempre bom lembrar, é passageiro, e também a ir se acostumando com o seu cabelo natural.

Os penteados serão seus maiores aliados

Falando em técnicas de texturização e como lidar com as duas texturas, não dá para deixar de falar do seu maior aliado do dia a dia durante a transição capilar: os penteados. Eles oferecem a possibilidade de usar o cabelo de uma forma bonita e elaborada sem precisar passar horas finalizando o cabelo – eles dispensam até mesmo as técnicas de texturização. 

Os penteados também são uma ótima forma de lidar com a dupla textura, fios rebeldes e também com o frizz. E engana-se quem pensa que dá muito trabalho apostar nos penteados do dia a dia. Existem opções práticas e rápidas, e há também espaço para criar suas próprias versões de penteados clássicos, como o coque, o rabo de cavalo e o meio-preso que já amamos. 

Você pode fazer o big chop a qualquer momento

A hora mais esperada da transição capilar é o big chop, como o próprio termo em inglês já explica, o grande corte. Em geral, é ele que marca o final da transição, e muita gente espera bastante tempo para realizá-lo, até que os fios naturais do cabelo cheguem a um comprimento longo, mesmo que essa espera dure alguns anos. 

No entanto, estamos aqui para dizer que não existe regra para realizar o big chop. Isso significa que você pode optar por esperar os fios crespos crescerem até o comprimento longo antes de fazer o seu big chop, ou pode simplesmente cortar totalmente os fios alisados e raspar o cabelo, para que o crescimento do crespo comece do zero. Há ainda quem deixe os fios crespos curtos, ou quem escolhe por usar box braids durante todo o período da transição. Em geral, você é quem dita como e quando será o seu big chop, e ele pode — e deve! — seguir o seu gosto pessoal, a sua jornada de aceitação e como você se sente mais bonita e confortável. 

Saber lidar com o fator encolhimento é necessário

Sabe aquele mito de que o cabelo crespo demora mais para crescer, ou às vezes nem cresce? Pode esquecer! O que faz com que essa curvatura carregue a fama de que não cresce é o fator encolhimento: quanto mais crespo, mais “curto” será o fio, já que sua estrutura faz com que ele se encolha naturalmente. Em um período onde a ansiedade pelo crescimento capilar já é grande, o fator encolhimento pode trazer ainda mais frustração. Por isso, é importante entender o quanto esse fator interfere no tamanho do seu cabelo, e como você pode lidar com ele, estimulando o volume dos fios e quais tipos de corte ou finalização mais funcionam para você. 

O trabalho também vem de dentro

Além do cuidado capilar, de aprender novas técnicas de texturização e finalização, os produtos e acessórios novos para testar, a transição capilar começa de dentro para fora. É importante manter a paciência, saber lidar com a tentação de voltar para o alisamento, e manter a cabeça aberta para um novo visual, ou seja, uma nova versão de você. Muita gente alisa o cabelo há tanto tempo que nem conhece mais seus fios naturais, por isso, a transição é, acima de tudo, um processo de autoconhecimento para uma nova fase na sua trajetória. Vamos juntos?  

Rate this post